.

.
Estamos com mais 4.514.900 de acessos, graças a você leitor. É grande aceitação do nosso blog em todos os lugares. Obrigado a todos e continue acessando!!!

sábado, 8 de julho de 2017

Segurança preso cobrou R$ 2 mil para repassar prova do concurso da PM, diz delegado

Em coletiva, a Polícia Civil do Piauí divulgou nesta sexta-feira (7) o nome do segurança do shopping que foi preso suspeito de fraudar o concurso da Polícia Militar do Piauí. O segurança foi o primeiro a vazar a prova de Português e segundo a Polícia Civil teria cobrado R$ 2 mil, além de 10 vezes mais o valor do salário do candidato que teve acesso as questões e conseguiu aprovação no certame, o que corresponderia a mais de R$ 30 mil.
O preso é Tadeu Bruno do Nascimento, 28 anos. Em depoimento, ele confirma que recebeu a prova, mas nega a comercialização. 
"Ele teve acesso a prova de Português quatro dias antes do concurso e foi deixá-la na casa de dois candidatos que repassaram as mesmas pelo aplicativo WhatsApp", declarou o delegado Kleydson Ferreira, em coletiva na Delegacia Geral da Polícia Civil do Piauí. 
O delegado disse que já tem pistas sobre quem repassou a prova impressa ao segurança, mas não deu detalhes.
"Ainda não temos informações de quantos candidatos receberam as 14 questões de português. Chegamos ao Tadeu após a prisão de um candidato e mais prisões podem ocorrer", acrescenta. 
O segurança Tadeu Bruno também disputava a vaga para o cargo de soldado e realizou a prova no dia 21 de maio. Ele foi preso em cumprimento a mandado de prisão temporária.
O homem conduzido coercitivamente já foi ouvido e liberado. "Ele teria tido acesso a prova por meio de outra pessoa e foi liberado por ainda não termos provas suficientes", acrescenta. 
Já os mandados de busca e apreensão foram cumpridos nos bairros Ilhotas, Bela Vista e Portal da Alegria. Nos locais foram apreendidos computadores, apostilas e pen drives que auxiliarão nas investigações. 
Até o momento foram realizados 11 flagrantes e 15 presos suspeitos por fraude no concurso da Polícia Militar do Piauí. 
O delegado Kleydson Ferreira, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) e responsável pelo inquérito que investiga a fraude no concurso da Polícia Militar do Piauí, revelou que o preso é segurança de um shopping da capital. Ele teria recebido e comercializado a prova.
A Polícia prendeu o homem apontado como a primeira pessoa a ter acesso à prova de Português do último concurso da Polícia Militar, ocorrido em maio.
"Essa pessoa foi responsável por receber a prova de Português, comercializou a mesma e divulgou para alguns dos candidatos que, inclusive, divulgaram nas redes sociais que tinham tido acesso a prova", explica Ferreira. (relembre o caso: candidatos afirmam que prova do concurso da PM vazou dois dias antes)
O segurança- que não teve a identidade revelada- foi preso no Portal da Alegria, zona Sul de Teresina. 
O delegado acrescenta ainda que a pessoa conduzida coercitivamente também pode ter tido acesso a prova. "No entanto, ainda não obtemos provas suficientes para pedir a prisão temporária ou preventiva", reitera. 
Durante investigação do Greco, 12 pessoas foram presas por envolvimento na fraude. 
A primeira pessoa- que teria recebido questões da prova do concurso da Polícia Militar do Piauí que foi anulado após vazamento- foi presa em cumprimento a ordem judicial. Na manhã desta sexta-feira (07), o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) deu cumprimento também a um mandado de condução coercitiva e cinco de Busca e Apreensão. 
O investigado teria tido acesso a prova de Português aplicada no mês de maio. O vazamento causou a anulação da primeira etapa do certame que será reaplicada neste domingo (09). Mais de 32 mil candidatos se inscreveram no certame.
"Nós temos provas da participação dessa pessoa como a primeira que teve acesso a prova de Português que foi anulada. Felizmente hoje conseguimos dar cumprimento ao mandado de prisão contra essa pessoa e a condução coercitiva de outra pessoa que será ouvida, além de cinco mandados de busca e apreesão. A gente está atento em relação a fraudes em concursos no Piauí e essa é uma prova de que o Greco está trabalhando muito para combater a ação de pessoas que tentam fraudar concursos", disse Riedel Batista, delegado geral da Polícia Civlil do Piauí.
A ação do Greco acontece a dois dias da reaplicação das provas. Riedel Batista destaca que a segurança será reforçada para evitar a ação de fraudadores. Somente da PM, serão mil homens espalhados nos locais de aplicações de provas e imediações. Policiais civis da Inteligência também estarão em campo.
"As polícias Militar e Civil do Piauí já estão com equipes em campo para apurar todas as denúncias. A partir de hoje, vamos ficar 24 horas de plantão, recebendo denúncias e checando se há algum fundo tipo de veracidade ou é informação falsa como foi esse último gabarito divulgado da prova de domingo e que não é verdadeiro", disse Batista. 
cidadeverde.com - Edição: Parnaíba 24 Horas

Nenhum comentário: